Install this webapp on your device: tap and then Add to homescreen.

Sessão de Jovens do Movimento Pindorama

Abapuru


Arthur Versiani de Azevedo
OS SABERES ANCESTRAIS NOS SONS DE TAMBORES E VOZES 
CAPOEIRA ANGOLA E CONGADO MINEIRO COMO PRÁTICAS DE R(E)EXISTÊNCIA
Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Colégio Rudolf Steiner de Minas Gerais, Ensino Médio.
O presente trabalho busca se aproximar das práticas da Capoeira Angola e do Congado Mineiro, enquanto tradições culturais afro-brasileiras que se mantêm vivas desde o atroz período escravocrata brasileiro, partindo de uma visão crítica da formação histórica do Brasil,
país estruturalmente racista e que ainda reproduz mecanismos coloniais. O objetivo é elucidar como essas tradições podem representar a resistência contra um sistema opressivo a afrodescendentes e uma luta contra o apagamento de identidades e saberes ancestrais.
NOVA LIMA, MG - 2020
A SITUAÇÃO INDÍGENA NO BRASIL ATUAL
TCC apresentado como parte dos requisitos para conclusão do 12º ano da Escola Waldorf “João Guimarães Rosa”
Aborda assuntos ocorridos no ano de 2020 em relação aos povos indígenas, referentes a pandemia devido a covid-19 e a demarcação de Terras Indígenas, mostrando os passos seguidos de acordo com a constituição brasileira, trazendo dados atuais levantados por órgãos públicos, e reforça a importância de garantir territórios originais.
RIBEIRÃO PRETO 2020

Chiquinha Gonzaga
Trabalho final apresentado como requisito parcial para conclusão do Curso do 12° ano da Escola Waldorf Rudolf Steiner
Chiquinha Gonzaga foi a primeira compositora mulher brasileira, sendo a primeira a criar o gênero da marcha-rancho e também a maior maxixeira do seu tempo.
Ela viveu num período conservador demais para a sua mente e ideais, que eram muito avançados para o tempo em que vivia. Pensar na hipótese de querer trabalhar sendo mulher era um sonho hipotético não alcançável. Sua família era da alta sociedade, fazendo dela uma mulher privilegiada em vários âmbitos, como o cultural e o da música. Ela não poderia ter tido mais sorte como teve em sua iniciação musical, no entanto, não se transformou numa dama e esposa virtuosa da corte de D. Pedro II como seu pai o desejava.
São Paulo – SP - 2020
Música: Viva. Composta por Gabriela Prado, em homenagem a Chiquinha Gonzaga. Fez parte do TCC e ainda não foi registrada na Biblioteca Nacional, em virtude da pandemia. Link externo.

RAP: O Porta-voz da periferia
TCC apresentado como parte dos requisitos para conclusão do 12 ano da escola Waldorf “João Guimarães Rosa”
Este trabalho de conclusão de curso tem como objetivo analisar, debater e aprofundar qual é o papel da música, em específico o “Rap”, nas comunidades mais simples, as conhecidas “periferias”.
Vivemos em um sistema capitalista, onde existe uma polaridade social muito grande. Enquanto alguns possuem muito dinheiro, outros não possuem quase nada. A música vem pra que essas pessoas, numa maioria os jovens, possam se expressar e serem ouvidos através da arte. Será abordado desde o contexto histórico do “Rap”, até os dias atuais e sua atuação em nossa sociedade contemporânea.
NOVA LIMA, MG - 2020. 

PINTURA CORPORAL INDÍGENA MEBÊNGÔKRE - Entre a técnica e o simbolismo - 2020 - YASMIN DE ARAUJO FERREIRA - Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à Aitiara Escola Waldorf - Este trabalho busca investigar a pintura corporal indígena Mebêngôkre no âmbito da técnica e de seus simbolismos, considerando o contexto sociocultural em que essa arte se encontra.
Vídeo vídeo com a música que Yasmin e Arthur tocaram especialmente, quando da celebração da nova seção de jovens Abaporu. 

Cerimônia de um novo ritual de passagem. 
No ano passado por causa da pandemia de 2020, algumas escolas Waldorf apresentaram as monografias dos TCCs. do ensino médio de seus alunos via on-line, e assim tivemos a oportunidade de assistir as apresentações de temas como povos originários, racismo estrutural, brasilidade, a mulher como protagonista e outros.
A ideia foi de fazer uma cerimônia e cuidar da semente manifestada na vontade de transformação naquelas monografias.

Porque da escolha do nome Abaporu